domingo, 31 de janeiro de 2010

BOPE

Venha fazer parte do Bope.

Polícia do Rio vai treinar tiro em videogame de última geração

Secretaria de Segurança investe R$ 3 milhões em duas salas para a PM e uma para a Civil, onde agentes vão simular disparos e abordagem.

Rio - O assalto acontece dentro de um bar cheio de inocentes. Agarrados aos reféns, os bandidos estão escondidos atrás de um balcão e gritam aos policiais, ameaçando matar as vítimas caso eles avancem. Numa ação surpresa, durante a abordagem, outro criminoso sai do banheiro atirando. É neste momento que o policial precisa saber como e quando revidar — e, felizmente, pelo menos na cena descrita acima, as vítimas e criminosos não passam de personagens de um videogame gigante.

Cercados por telas do tamanho de paredes, policiais civis e militares usarão cenários realistas para praticar tiros e exercitar técnicas de reação e abordagem. O que parece ser uma brincadeira é, na verdade, o que há de mais moderno para treinamento e reciclagem do agente para uso de armamentos.

A tecnologia americana da sala de simulação, já implementada para as polícias do Amazonas e de Rondônia, não vai substituir os estandes de tiros tradicionais, mas servirá para complementar as técnicas de abordagem e disparos. Três salas — uma para a Polícia Civil e duas para a PM — estão sendo adquiridas pela Secretaria de Segurança, num investimento de cerca de R$ 3 milhões.

O sistema funciona em um espaço hexagonal de 144 metros quadrados com cinco telas de três metros de altura por 2,40 m de largura. As imagens cobrem 300 graus e o policial, no meio, usa um colete que dá choque quando ele é ‘ferido’. O instrutor programa o cenário e o desfecho, interfere na luminosidade da cena e escolhe ainda as situações reais do dia a dia do policial, como confrontos na rua, em locais fechados, perseguições com a própria viatura (que caberá no espaço) ou confrontos em comunidades. As armas serão as mesmas usadas em serviço, adaptadas apenas para disparar laser, em vez de balas.

De acordo com o comandante do Centro de Instrução de Tiros da PM, major Paulo Roberto das Neves, os policiais chegam a dialogar com os criminosos. A tradução dos textos já está sendo feita e a previsão é de que em seis meses os simuladores já estejam funcionando na Cidade da Polícia, no Jacaré, no Centro de Formação de Praças (Cefap) e no Centro de Instrução de Tiros da PM, em Sulacap.

“É tudo muito real. O sistema permite que o policial interaja com imagens de pessoas em tamanho real. O peso da arma é igual e ele até vai sentir no braço o mesmo impacto de quando atira. Por tradição, o policial aprende a sacar a arma e atirar. Nesta sala, ele também vai se deixar levar pelo ambiente, mas terá que pensar em quando e como atirar, terá que trabalhar a atenção e o reflexo. Para o resto da vida, ele vai se lembrar dos erros que teve ali e que não pode repetir na rua”, explicou o major, que participou dos testes durante processo de licitação.

Na PM, reciclagem depois de férias

O sistema vendido por uma empresa paulista vem carregado com cerca de 40 cenas e cada uma delas apresenta quatro possibilidades de desfecho — escolhidas pelos instrutores para ensinar e testar os policiais. O treinamento poderá ser feito com até três policiais dentro da sala hexagonal e eles ainda poderão trabalhar dentro das viaturas reais. Na PM, a ideia é que os policiais de todos os batalhões possam participar das atividades do simulador.

“O objetivo do simulador é trabalhar o tiro seletivo. Esta atividade será um módulo dos cursos de capacitação. Todos os policiais que voltarem das férias passarão pelo simulador e os batalhões terão escalas periódicas para fazer o treinamento”, afirmou o major Paulo Roberto das Neves, instrutor de tiro da PM.

O comando da Polícia Militar pretende padronizar as aulas de tiros na corporação e deve autorizar em breve a criação de um ficha individual de tiros para os policiais. Ali estarão registrados todos os cursos e números de disparos que fez o PM. A baixa quantidade de tiros e os treinamentos escassos são, hoje, uma das queixas da tropa.

“Não existe fatalidade. Só se pode puxar o gatilho com total convicção dos efeitos dessa ação. A corporação não quer mais lembrar de treinamentos de tiro só quando há alguma tragédia”, disse o comandante do Centro de Instrução.

Policial se sente dentro de um filme


No estande de tiros da Polícia Civil são disparados, nos cursos de formação, em média 750 tiros por aluno. Nos cursos de reciclagem, que duram um dia, os agentes atiram 500 vezes com pistolas, fuzis, espingardas e submetralhadoras. Já no Centro de Instrução de Tiros da PM são 40 mil munições para treinamento, recarregadas pela própria corporação, que só precisa comprar no mercado a ponta da bala. A Polícia Civil também recebeu a doação de uma máquina que recarrega cartuchos, mas ela não está sendo utilizada.

Subchefe operacional da Polícia Civil, o delegado Carlos Oliveira testou um simulador de tiros nos Estados Unidos e trouxe a ideia para a Secretaria de Segurança, em 2007. Ele acredita que os simuladores também têm um aspecto importante para a economia do estado.

“É como se o policial estivesse no meio de um filme, numa situação bem próxima da realidade. O bandido fala, retruca, o policial será instruído sobre como deve se comportar e ainda pode refazer o que fez de errado no treino”, ressalta. Carlos Oliveira diz que também haverá um calendário de treinamento para delegados e agentes de todas as unidades e também para os alunos da Academia de Polícia (Acadepol).

No Centro de Instrução de Tiros, cadetes da PM gastam 1.200 munições por mês em treinamento no curso intensivo — 50 por dia. Quando retornam das férias, os policiais também passam por reciclagem e fazem cerca de 70 disparos.

Fonte: O DIA

sábado, 30 de janeiro de 2010

FIM DAS ESCALAS 12X24-12X48 E 24X48

É O QUE DIZ O INCISO IV DO Art. 9º do decreto 7.081 de 26 de Janeiro de 2010.

Para o ente federativo aderir ao programa Bolsa Copa ou Bolsa Olímpica, as escalas dos profissionais de segurança pública deverão ser regularizadas em 1 turno de trabalho por 3 turnos de descanso. Ou seja, trabalhou 8 horas, descansa 24; trabalhou 12 horas, folga 36, e assim por diante.


Isso significa que as escalas 24x48 passarão a ser 24x72 e as escalas de RP (12x24-12x48) deverão acabar, já que neste último caso, o policial, ao trabalhar no período noturno, folga hoje 48 horas e pelo entendimento do decreto deverão folgar 36. Isso será ruim, já que dificilmente as escalas de RP passarão a ser 24x72 e sim, 12x36.

Analisando com mais cuidado e tirando este pormenor, este será o maior benefício do decreto, já que possuímos escalas desumanas e arbitrárias. O decreto só faltou dizer que policial não pode trabalhar em sua folga, em serviço extra não-remunerado, o que acontece hoje normalmente. Isso sim teria que acabar.


Já no tocante a remuneração mensal de 3.200 reais em 2016, temos outra história. Acontece que daqui há longos 6 anos, este valor hoje estipulado estará defasado no ano Olímpico. Se levarmos em conta uma inflação média anual de 4,5% teremos no final das contas, uma desvalorização de 27% e os 3.200 reais estarão valendo realmente 2.336 reais. Isto representa uma queda no poder de compra de 864 reais. Posso imaginar quanto um soldado da PMDF estará ganhando em 2016...Uns 8 mil reais..

Como vemos, falta muito para que os governantes tomem vergonha na cara e editem as leis visando o bem-estar dos profissionais de segurança pública.

Pois enquanto tivermos policial e bombeiro trabalhando na folga, de graça, JAMAIS TEREMOS UMA POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA SÉRIA.

POLICIAL E BOMBEIRO TAMBÉM SÃO HUMANOS.

NÃO SOMOS MÁQUINAS. TEMOS DIREITOS E MERECEMOS RESPEITO.


Fonte: Um Conto de Fardas

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

MARCHA DA PEC 300 - Rio de Janeiro - 25Jan10

Decreto define regras das Bolsas Copa e Olímpica

Brasília, 28/01/10 (MJ) - Foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (27) o decreto que amplia os benefícios da Bolsa Formação oferecida pelo governo federal no âmbito do Pronasci – Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania.

Apelidados de Bolsa Copa e Bolsa Olímpica, os benefícios são destinados aos policiais civis e militares e bombeiros dos estados que trabalharão na Copa do Mundo 2014 e aos policiais civis e militares e bombeiros do Estado do Rio de Janeiro e guardas municipais da capital fluminense, sede dos jogos Olímpicos de 2016.

A Bolsa Copa será destinada a bombeiros e policiais militares e civis das 12 cidades sedes dos jogos de 2014. O valor da Bolsa será reajustado de forma gradual, começando com R$ 550 em 2010; R$ 655 em 2011; R$ 760 em 2012; R$ 865 em 2013 e R$ 1000 em 2014.Não há teto salarial para a concessão do benefício.

A seleção dos policiais que receberão a Bolsa Copa é de inteira responsabilidade dos estados. Tanto os profissionais da capital quanto os do interior poderão participar da Bolsa Copa, desde que sejam recrutados pelas corporações, mediante critérios técnicos e isentos por elas estabelecidos, para atuar nas operações de segurança dos jogos.

A Bolsa Olímpica, que tem um valor fixo de R$ 1200, será concedida aos policiais militares, civis e bombeiros de todo o estado do Rio de Janeiro e guardas municipais da capital com salários até R$ 3.200. Os profissionais que têm remuneração superior a esse valor poderão, no entanto, se habilitar para receber a Bolsa Copa.

Adesão

Para formalizar a adesão às bolsas Copa e Olímpica, os estados terão de atender às condições estabelecidas pelo Decreto 6490/2008, com as alterações promovidas pelo Decreto 7081/2010, como, por exemplo, adequar, até 2012, o regime de trabalho de seus profissionais para até 12 horas de serviço por três turnos de descanso. Além disso, os executivos estaduais deverão enviar às respectivas assembléias legislativas projetos de lei elevando a remuneração mensal dos policiais ao valor mínimo de R$ 3200, considerando a data limite de 2016.

“Essa medida é extremamente importante porque contempla todo o efetivo policial dos estados e não apenas os profissionais que atuaram nos jogos. Este é o primeiro caso para a criação de uma cultura em que os estados estabeleçam um piso salarial justo para a categoria”, explica o secretário Nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri.

No caso das guardas municipais, a prefeitura deverá encaminhar à Câmara de Vereadores projeto de lei concedendo reajuste à categoria não inferior a R$ 1200.

Já os policiais deverão realizar o curso especial de formação para segurança em eventos esportivos, cuja matriz curricular será estabelecida pelo Ministério da Justiça. Para participar do programa, os profissionais não poderão ter condenação em processo administrativo e penal nos últimos cinco anos e terão de respeitar os critérios apresentados pelo estado-membro para a seleção dos participantes. No caso da Bolsa Olímpica, a outra exigência é que a renda do policial não ultrapasse R$ 3200.

O ministro da Justiça, Tarso Genro, explica que as bolsas foram criadas para estimular a capacitação e estudo das polícias, visando a melhoria na qualificação dos profissionais. “Nosso objetivo é ter um policial altamente especializado durante a Copa e as Olimpíadas. Não se trata apenas de aumento de salário, que é responsabilidade dos estados. A promoção das bolsas estimula, sim, a capacitação, de um lado, e, de outro, induz os estados a qualificarem a remuneração dos policiais”.

Bolsa Formação

O decreto também reajustou para R$ 443 o valor da Bolsa Formação. O texto mantém inicialmente o teto salarial em R$ 1700 para a participação no programa, “o que não impede que a questão seja revista adiante”, diz Ricardo Balestreri.

Atualmente, 167 mil policiais de 25 estados recebem o benefício enquanto participam de cursos de especialização em segurança pública. Eles também podem migrar para as Bolsas Copa e Olímpica, desde que sejam selecionados pelos estados e realizem o ciclo especial de formação para segurança em grandes eventos. Os cursos serão ministrados pelas academias de polícia estaduais, após a homologação do Ministério da Justiça.

Segurança com cidadania

O Pronasci articula políticas de segurança com ações sociais, prioriza a prevenção e busca atingir as causas que levam à violência, sem abrir mão das estratégias qualificadas de repressão. São mais de 90 ações que integram União, estados, municípios e diversos setores da sociedade.

Atualmente, o programa está presente no Distrito Federal, em 22 estados e 177 municípios.


Fonte: MJ

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Bolsa Formação

O governo federal vai oferecer cursos de formação para policiais que atuarem na segurança da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, e nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. As aulas poderão ser dadas pelo módulo presencial ou à distância, voltadas para temas como terrorismo, uso progressivo da força e ações antibombas. Aqueles que participarem do programa receberão remuneração adicional. Após a realização dos Jogos, os estados deverão incorporar o benefício ao salário dos agentes de segurança pública.

O Bolsa Copa e o Bolsa Olímpica, criados por meio de decreto presidencial, ontem, serão realizados no âmbito do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), uma das principais bandeiras do Ministério da Justiça. Atualmente, o programa oferece bolsa formação de R$ 400 para 167 mil policiais de todo o país. O documento aumenta em pouco mais de 10% esse valor, que passa a ser de R$ 443. Segundo o ministro da Justiça, Tarso Genro, o custo do Pronasci no ano passado foi de R$ 750 mil. Neste ano, com o aumento e a ampliação do benefício, a previsão é de R$ 1,3 bilhão.

O pagamento da Bolsa Copa terá um aumento gradativo. O benefício mensal subirá de R$ 550, neste ano, para R$ 1 mil em 2014. Após essa data, os governos estaduais que aderirem ao programa deverão, por meio de projeto de lei, incorporar o valor final ao salário dos profissionais e arcar com a despesa.

Apoio

A Bolsa Olímpica, exclusiva para o estado do Rio de Janeiro, já recebeu o apoio do prefeito da capital, Eduardo Paes (PMDB), e do governador Sérgio Cabral (PMDB). Ambos participaram da cerimônia de anúncio do benefício e elogiaram a iniciativa. “O governo federal enfrenta, participa, se solidariza e resolve temas ligados à segurança pública”, afirmou Cabral.

A bolsa dos Jogos Olímpicos terá o valor fixo mensal de R$ 1,2 mil e não poderá ser acumulada às demais bolsas. Terão direito ao curso os policiais civis, militares e bombeiros do estado, além dos guardas municipais da capital carioca. Segundo dados oficiais, a estimativa é de que 67 mil agentes participem dos cursos.

Contracheque esportivo

A Bolsa Copa e a Bolsa Olímpica oferecem um adicional aos policiais que participarem da segurança dos dois eventos esportivos, em 2014 e 2016, respectivamente. Criado por meio de decreto, o benefício será pago pelo governo federal a partir de julho àqueles que fizerem cursos de especialização oferecidos pelo Ministério da Justiça. Após a realização dos Jogos, os governos estaduais deverão incorporar o adicional ao salário da categoria e assumir a despesa.

Bolsa Copa

# Paga aos bombeiros e profissionais de segurança pública das 12 capitais que sediarão os jogos da Copa do Mundo;
# O valor mensal da bolsa será de R$ 550 em 2010; R$ 655 em 2011; R$ 760 em 2012; R$ 865 em 2013; e R$ 1 mil no ano da Copa;
# Como não há um teto salarial para obter o benefício, policiais do Distrito Federal, cujo vencimento é o maior do país, também poderão participar do programa.

Bolsa Olímpica

# O benefício mensal de R$ 1,2 mil será pago a todos os policiais civis, militares e bombeiros do estado do Rio de Janeiro, além dos guardas municipais da capital carioca, sede dos Jogos Olímpicos. De acordo com dados oficiais, cerca de 67 mil agentes serão beneficiados;
# O adicional deverá ser incorporado pelo governo do estado a partir de 2016, mas quem tiver direito ao benefício não poderá acumular a Bolsa Copa, ficando apenas com a Olímpica, cujo valor é maior.

Fonte: Correio Braziliense

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Lula lança programas de formação de policiais para atuar na Copa e Olimpíadas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou nesta terça-feira (26) um programa de formação de policiais que vão atuar na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016. O programa consiste numa bolsa que será paga aos profissionais que se qualificarem para atuar nos eventos.

Os governos estaduais precisam aderir ao programa para que os agentes de segurança possam receber o benefício. As bolsas devem começar a ser pagas a partir de julho.

"O que se encaminha aqui é uma mudança estrutural na remuneração dos servidores policiais do país", disse o ministro da Justiça, Tarso Genro. O ministro estima que entre 220 mil e 230 mil policiais possam ser beneficiados pelas novas bolsas. Em 2011, quando Tarso acredita que o programa estará totalmente implementado, os gastos do governo federal seriam de cerca de R$ 1,3 bilhão.

Segundo o Ministério da Justiça, os policiais e bombeiros das 12 cidades-sede da Copa do Mundo que participarem do programa de formação receberão R$ 550 mensais em 2010. O valor do chamado "Bolsa Copa" sobe gradativamente até chegar a R$ 1 mil em 2014.

No caso das Olimpíadas, a bolsa será de R$ 1,2 mil mensais e será concedida a todos os policiais, bombeiros e guardas municipais da cidade do Rio de Janeiro.

Incorporadas

Em ambos os casos, essas gratificações serão incorporadas aos salários dos agentes de segurança beneficiados após a realização dos eventos e passarão a ser custeados pelos governos estaduais. Além do salário maior, os policiais que farão parte destes novos programas não poderão ter carga horário de trabalho superior a 12 horas por dia.

O decreto assinado pelo presidente também aumenta o valor da bolsa de formação do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) de R$ 400 para R$ 443. Esta bolsa é concedida para policiais de todo o Brasil. Segundo o ministério da Justiça, 167 mil policiais já fazem parte deste programa.

Tanto para as novas bolsas quanto para a bolsa formação do Pronasci, o agente de segurança deverá participar pelo menos uma vez por anos cursos de capacitação fornecidos pela Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública, que é formada por 66 instituições de ensino superior. Os agentes de segurança não poderão acumular bolsas.

Fonte: G1

Lula assina decreto que cria a Bolsa Copa e a Bolsa Olímpica

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta terça-feira o decreto que cria as Bolsas Copa e Olímpica para policiais que irão trabalhar nos Jogos. Com isso, a partir de julho deste ano, os profissionais de segurança pública começarão a receber um adicional que aumentará gradativamente até a data dos eventos. ( Leia também: Jobim alerta para ameaça de atentados e diz que país deve se preparar para problemas durante Copa e Olimpíadas )

No caso da Bolsa Copa, policiais e bombeiros das capitais que sediarão as competições vão começar recebendo R$ 550 a mais em 2010. A partir de 2011, a bolsa passa a ser de R$ 665. Em 2012, o acréscimo passa a ser de R$ 760, e em 2013 de R$ 865. No ano da Copa do Mundo, os profissionais de segurança pública passarão a receber R$ 1.000 a mais no salário. O valor não será perdido após os Jogos, e será incorporado pelos governos estaduais permanentemente.

Já a Bolsa Olímpica será paga exclusivamente aos profissionais do Rio de Janeiro. No caso deles, o valor será fixo de R$ 1.200. Os policiais e bombeiros do Rio não receberão a Bolsa Copa, apenas a Olímpica até 2016. Depois dos Jogos, o valor também será incorporado aos salários pelo governo estadual.

Para o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o programa representa um pacto de solidariedade do governo federal com os estados.

- O governo federal, pela primeira vez na história, enfrenta, participa e se solidariza com temas relacionados à segurança pública - disse Cabral.

As regras serão as mesmas do Bolsa Formação - programa que paga um adicional para os policiais que se propõem a fazer cursos de capacitação. Essa bolsa também recebeu aumento nesta terça-feira, passando de R$ 400 para R$ 443.

Fonte: O Globo

Twitter PRONASCI

Lançamento do Bolsa Copa Olímpica acontece amanhã (26) no MJ com a presença do ministro da Justiça e do presidente Lula.

Fonte: http://twitter.com/PRONASCI

domingo, 24 de janeiro de 2010

MENSAGEM DO CAPITÃO ASSUNÇÃO SOBRE A PEC 300.

Caros companheiros!
Gostaria aqui e agora de saudar o Grande Ex-Presidente Juscelino Kubitschek que teve a genial ideia da criação de Brasília, muito embora nos decepcionemos com os políticos que lá atuam!
Todavia, Kubitschek parecia prever que independente da classe política desonesta e “antipátrica” (contra a pátria) que lá estivesse, os brasileiros deveriam e devem voltar seu olhar e atenção para o Centro do País!
Todos devemos convergir para o centro!
O problema está no CENTRO das atenções!
Ou melhor: a atenção sobre o problema deve estar no Centro!
Pegue um mapa do Brasil e veja que fica fácil acessar Brasília de qualquer ponto do país!!!
Em homenagem a Kubitschek e a todos os companheiros policiais (de qualquer força) e bombeiros militares mortos em serviço, em homenagem aos órfãos e viúvas de policiais que esse país produz diariamente, vos digo:
VAMOS INVADIR BRASÍLIA!
VAMOS DOMINAR O PLANALTO CENTRAL!
VAMOS ATRAIR A ATENÇÃO DA MÍDIA NACIONAL E INTERNACIONAL PARA O PROBLEMA DOS POLICIAIS E BOMBEIROS BRASILEIROS!
VAMOS LÁ BUSCAR NOSSA PEC 300 PQ ELA NÃOS NOS SERÁ DADA SEM QUE PONHAMOS AS MÃOS NELA!
VAMOS FAZER COM QUE OS “NOBRES DEPUTADOS” SINTAM O CHEIRO DO NOSSO SUOR E CONTEM QUANTOS DE NÓS JÁ TOMBARAM NO ANO PASSADO EM TODO O PAÍS!
NOSSOS MORTOS JAMAIS RETORNARÃO, TODAVIA, LÁGRIMAS E SANGUE DERRAMADO DEVEM SER CONVERTIDOS EM RESPEITO E DIGNIDADE!!!!
A PLENOS PULMÕES, GRITEMOS NAS GALERIAS PARA O BRASIL E O MUNDO OUVIR: PEC 300, JÁAAAAAAAAAAA!
Postado por Capitão Assumção Deputado Federal às 14:19 1 comentários
http://www.capitaoassumcao.com/

site da PEC 300 http://www.pec300.com/motivos.html

Fonte: Policial do Povo

Caminhada pela PEC 300

Os policiais civis, militares e bombeiros do Estado do Rio vão fazer mais uma caminhada pela aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 300, que iguala os vencimentos das categoria ao piso salarial do Distrito Federal. A manifestação será no centro do Rio

Fonte: Jornal O São Gonçalo

Além de ganhar mais a PMDF tem uma excelente escala de serviço

A portaria PMDF nº 696 de 18 de Janeiro de 2010, estabelece o horário de expediente administrativo e o regime de escalas do serviço operacional.


No que se refere ao serviço administrativo não houve nenhuma mudança. Mantém-se os seguinte:

Art. 1º – O expediente administrativo da Corporação compreende o horário das 13h as 19h, de segunda a sexta-feira, nos dias úteis.

Parágrafo Único. O efetivo do expediente administrativo poderá ser utilizado 01 (uma) vez por semana, por um período de 06 (seis) horas,no serviço operacional e 02 (duas) horas para o treinamento físico, fora do seu horário de expediente.

As mudanças mais significativas estão no serviço operacional. Houve basicamente um retorno as escalas antigas…

Art. 2º – As escalas de serviço ordinário operacional da Corporação funcionarão de acordo com as seguintes proporções de horas trabalhadas por horas de folga, respectivamente:

I – O policiamento motorizado (RP em geral) e o Policiamento Comunitário (Postos Policiais) cumprirão o regime 36 (trinta e seis) horas de folga, para cada turno de 12 (doze) horas de serviço no período diurno, com acréscimo na folga equivalente à dispensa de um serviço, após a consecução de 04 (quatro) ciclos, e regime de 60 (sessenta) horas de folga, para cada turno de 12 (doze) horas de serviço, no período noturno.

a. Considera-se período noturno, para os fins do inciso I do Art. 2º, quando pelo 2/3 do turno de serviço estejam compreendidos entre as 18h e às 6h do dia seguinte.

II. O Policiamento ostensivo a pé cumprirá o regime de 18 (dezoito) horas de folga para cada turno de 06 (seis) horas de serviço, com acréscimo na folga equivalente à dispensa de 02 (dois) serviços após o cumprimento de 05 (cinco) dias de trabalho, alternando com a dispensa equivalente a 01 (um) serviço após 06 (seis) dias trabalhados;

III – Serviço de Guarda do Quartel, 3ª CPMInd e BOPE, especificamente, cumprirão regime de 72 (setenta e duas) horas de folga, para cada turno de 24 (vinte e quatro) horas de serviço;

IV – O Policiamento montado e o Policiamento motorizado em motocicletas, cumprirão o regime de 40 (quarenta) horas de folga, para cada turno de 8 (oito) horas de serviço.

A portaria entrou em vigor na data da publicação.

Fonte: Blog do Policial Valente

sábado, 23 de janeiro de 2010

Bolsa Olímpica também para 18 mil bombeiros

Benefício de R$ 1,2 mil para policiais e guardas municipais será estendido à corporação. Valor será incorporado aos salários até 2016. Início do pagamento vai ser informado segunda-feira

POR ANNA LUIZA GUIMARÃES

Rio - Os 18 mil bombeiros do Estado do Rio de Janeiro serão beneficiados pelo projeto Bolsa Olímpica, anunciado em dezembro pelo Ministério da Justiça. Eles vão receber R$ 1,2 mil, valor que será incorporado aos salários até os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Na segunda-feira, o governo federal deverá divulgar a data em que o benefício começará a ser pago.

A bolsa também será recebida por policiais civis e militares e guardas municipais, todos escalados para atuar no patrulhamento e na segurança pública da cidade na Copa de 2014 e nos Jogos de 2016. Só o primeiro evento deverá atrair 500 mil turistas, segundo a Riotur. Ainda não há estimativas de visitantes na Olimpíada.

No início do mês, o governador Sérgio Cabral chegou a dizer que só policiais militares receberiam a bolsa — concedida pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça —, provocando a reação de bombeiros. Ontem, a assessoria do governador explicou que Cabral nunca afirmou que os bombeiros seriam excluídos da bolsa, apenas que ele não tinha informação sobre o assunto.

Segundo o governo estadual, vale o que o Ministério da Justiça determinar. E o Pronasci informou que incluirá todas as forças envolvidas na segurança dos eventos. O projeto deverá ser aprovado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na terça.

Em entrevista a O DIA, no início do mês, o ministro da Justiça, Tarso Genro, sugeriu que o valor agregado se transforme em piso salarial universal, válido para todo o País. Ele afirmou que a proposta permitiria que o piso dos PMs do Rio chegasse a R$ 3.200. Para isso, o governo estadual terá de enviar um projeto de lei incorporando o valor da bolsa ao salário, a partir de 2016. Os agentes vão participar de cursos de qualificação que serão definidos até março pela Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Vida de Herói - Quanto vale o risco de vida?

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

PM aguarda votação da ‘PEC do salário’

Este ano é de esperança para os policiais e bombeiros militares, já que as categorias aguardam, com certa ansiedade, a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300 ou da PEC 41, ambas de 2008. Apesar dos projetos visarem aumentar os pisos salariais dos profissionais de todos os Estados do Brasil, na região de Bauru os servidores se dizem favoráveis à primeira medida.

Em suma, a diferença entre as PECs 300 e 41 é que a primeira estabelece que a remuneração dos policiais militares (PMs) dos Estados não poderá ser inferior à da PM do Distrito Federal (que recebem os melhores salários), aplicando-se também aos integrantes do Corpo de Bombeiros Militar e aos inativos. A proposta é que o novo piso salarial seja de R$ 4.500,00. Já a segunda impõe a criação de um piso nacional para as polícias brasileiras (policiais estaduais, civis, militares e bombeiros militares, aposentados), sem estipular um valor.

Para a Associação de Cabos e Soldados Regional Bauru e da Associação dos Oficiais da Polícia Militar de São Paulo, a PEC 300 desperta a esperança dos profissionais que concentram “as piores remunerações do Brasil. Certamente a medida vem para corrigir as distorções que as polícias do País vivem. Existe um caos na segurança e o salário dos policiais não condiz com a realidade do trabalho que fazem”, afirma Donizette Vieira, diretor-presidente da Associação de Cabos e Soldados da Regional Bauru, que conta com 1.100 sócios em 41 municípios - em todo o Estado são cerca de 33 mil soldados associados. “Eles pretendem passar o piso salarial para R$ 4.500,00, o que deve reparar muitos problemas. Os governantes que vieram nos últimos 12 anos dão auxílio, gratificação, mas não aumentam o salário dos policiais. Este é um meio de não darem paridade aos inativos. A PEC 300 corrigiria tudo isso. Por isso, nossa preferência é por ela, nossa vontade é que ela seja aprovada”, acrescenta.

Para o coronel da reserva Sebastião Alberto Correa de Carvalho, diretor do Interior da Associação dos Oficiais da PM de São Paulo (que conta com 3.500 associados), a proposta de emenda é uma forma de reconhecimento ao trabalho desenvolvido pela categoria. “Se você tem dignidade de um salário justo, o policial não atuará em um cenário de insegurança profissional e com consequência sobre sua própria família. Como um profissional pode atuar na segurança se ele próprio não tem?”, questiona. “Não sei se é mais viável, mas a PEC 300 nos parece mais realista na questão de justiça e do reconhecimento. O problema é que certamente os governos estaduais vão se empenhar para impedi-la e aprovar a PEC 41, que não define valor, mas com certeza a definição ficará bem abaixo do pretendido pela PEC 300”, complementa o coronel Correa de Carvalho.


Desigualdade

O principal objetivo da PEC 300 é corrigir as disparidades salariais entre os policiais. No Estado de São Paulo, o salário de um soldado é de aproximadamente R$ 2.170,72. Um levantamento divulgado pela revista Época mostra que a diferença entre o salário mais alto e o salário mais baixo de um soldado em início de carreira é de R$ 2.700,00. O Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro pagam os piores salários: R$ 1.138,17 e R$ 1.277,67, respectivamente. A média nacional é de R$ 1.814,96.

Os valores correspondem ao salário bruto dos soldados após concluir o curso de formação, incluindo gratificações mensais para alimentação e fardamento. Os números não apontam, necessariamente, o valor exato recebido pelos policiais ao fim do mês. No Rio de Janeiro, por exemplo, com os descontos, um soldado recebe cerca de R$ 900,00, revela o levantamento da revista.

Uma pesquisa feita pelo Ministério da Justiça em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) mostra que o baixo salário é a principal preocupação de 92% dos policiais do Brasil. “O soldado não tem recursos para suprir as necessidades básicas da família e é forçado a fazer bicos. Sem os trabalhos por fora, a comunidade poderá contar com um policial dedicado à segurança pública as 24 horas do dia”, opina Vieira.

A PEC 300 está em discussão na Câmara dos Deputados, já a PEC 41 foi aprovada em dois turnos no Senado Federal no final do ano passado e agora precisa ser votada na Câmara Federal para ser promulgada pelo presidente Lula.

“A PEC 300 nivela o piso da PM e prevê uma complementação por parte do governo federal para os Estados que não tenham condições de arcar com essa responsabilidade. Há um envolvimento nacional, inclusive com apoio popular, para sua aprovação”, revela o coronel Correa de Carvalho. “Não sei fazer prognósticos, mas viável é. O País tem dinheiro, a vida de um policial militar ou de um homem de segurança pública é cara. É preciso levar em consideração a exposição da vida em risco”, finaliza.

Fonte: Jornal da Cidade - Bauru

Renan se reúne com presidente da Câmara para pedir celeridade na votação da PEC

A aprovação da PEC nº 41, de autoria do senador Renan Calheiros (PMDB), que cria um piso salarial nacional para policiais militares, civis e bombeiros militares, será a principal pauta de um encontro entre Renan e o presidente da Câmara Federal, deputado Michel Temer (PMDB), agendada para a próxima quarta-feira, dia 20, em Brasília.

A PEC foi aprovada em dois turnos no Senado, no final do ano passado, e precisa ser votada na Câmara Federal para ser promulgada pelo presidente Lula. Reunido com representantes de várias categorias vinculadas à categoria dos policiais, Renan reafirmou que a remuneração é ponto primordial para que o profissional desempenhe bem as suas funções.

Na semana passada, o senador se encontrou com o presidente Lula, quando falaram sobre a importância da aprovação dessa matéria. Segundo Renan, Lula também garantiu defender a implantação urgente de um piso nacional para os policiais. Renan admite, ainda, a possibilidade de incluir a categoria dos peritos, na elaboração do texto que cria o novo piso.

O senador também confirmou para o início do mês de fevereiro uma audiência entre Michel Temer e representantes dos principais sindicatos e associações da categoria de todo o País, a fim de agilizar o processo de votação pelos deputados. A idéia do senador é garantir a quebra dos prazos de tramitação e, se possível, de maneira unânime, como aconteceu durante a votação no Senado Federal.

O valor do piso será estabelecido por lei ordinária e deverá entrar em vigor no prazo máximo de um ano após a promulgação da PEC. O texto, de autoria de Renan Calheiros, também cria um fundo para que a União socorra Estados e municípios que tenham dificuldades orçamentárias para viabilizar o pagamento do piso nacional aos policiais e bombeiros.

Fonte: Revista Municipal de Alagoas

Ministério da Justiça oferece 200 mil vagas de ensino a distância

Brasília, 20/01/10 (MJ) – Profissionais de segurança pública de todo o país podem se inscrever, entre 26 e 30 de janeiro, em 57 cursos gratuitos da Rede Nacional de Educação a Distância (EAD) do Ministério da Justiça. Serão oferecidas 200 mil vagas para policiais civis, militares, peritos, bombeiros, agentes penitenciários e guardas municipais.

A expectativa é que as vagas sejam preenchidas antes do término do prazo de inscrições. No último ciclo de cursos, por exemplo, 180 mil vagas se esgotaram em menos de 24 horas. A iniciativa é coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e integra o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

Neste 18º ciclo da Rede EAD, serão oferecidos seis novos cursos: Papiloscopia 2, Identificação Veicular 2, Fiscalização de Excesso de Peso, Mediação de Conflitos 2, Espanhol 1 e Cartéis. Os cursos de 40 horas serão realizados entre 25 de fevereiro e 31 de março. Os de 60 horas vão até 14 de abril.

Bolsa Formação

Os profissionais que recebem salário inferior a R$ 1,7 mil poderão, ainda, aderir ao projeto Bolsa Formação, também do Pronasci. Com foco na qualificação e valorização profissional, o projeto garante um incentivo mensal de R$ 400 a quem participa dos cursos na área de segurança pública – em muitos estados, o adicional representa até 1/3 do salário dos policiais. Até dezembro de 2009, 160 mil policiais recebiam o benefício em 25 estados.

Formato das aulas

Mesmo à distância, os alunos contam com a ajuda de tutores que tiram dúvidas, interagem com a turma, estipulam tarefas e avaliam os trabalhos produzidos.

Além do material de apoio, eles também aprendem por meio de vídeos e debates que podem ser acessados a qualquer momento. Para fiscalizar a participação efetiva do profissional durante o curso, alguns alunos que recebem o Bolsa Formação serão sorteados aleatoriamente para fazerem provas presenciais.

Para dar suporte aos profissionais que não têm acesso à Internet, o Ministério da Justiça coloca à disposição 270 telecentros em todo o país com computadores e equipamentos de áudio e vídeo.

Fonte: Ministério da Justiça

Bombeiros são recebidos a tiros por traficantes na Zona Norte

Bombeiros do Quartel do Méier foram recebidas a tiros por traficantes, por volta das 20h desta terça-feira, quando chegavam ao Morro Engenho da Rainha, em Inhaúma, na Zona Norte do Rio, para socorrer uma vítima de desabamento. Devido à chuva, uma casa caiu na comunidade e uma mulher ficou sob os escombros. Os bombeiros, entretanto, não conseguiram socorrê-la por conta da reação dos traficantes. Segundo os bombeiros, a mulher foi socorrida por moradores da favela e levada a um hospital. Não há informações sobre o estado de saúde da vítima. Nenhum bombeiro ficou ferido.

Fonte: Jornal Extra

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

PEC estabelece promoção automática para PMs a cada cinco anos

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 423/09, do deputado Marcelo Serafim (PSB-AM), insere no texto constitucional critérios de promoção dos policiais militares. Pelo texto, a cada cinco os policiais serão promovidos automaticamente de posto ou graduação.

A promoção, no entanto, é condicionada à participação em cursos preparatórios. Atualmente, a Constituição determina que as patentes dos oficiais sejam conferidas pelos respectivos governadores.

Pela proposta, os cursos exigidos para a ascensão na carreira deverão ser oferecidos pelas instituições militares. E a carreira dos policiais militares será composta pelos seguintes postos:

- Soldado;
- Cabo;
- Terceiro-Sargento;
- Segundo-Sargento;
- Primeiro-Sargento;
- Subtenente;
- Tenente.

Na opinião de Marcelo Serafim, a alteração possibilitará, entre outras coisas, a reestruturação administrativa da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, a criação de novas unidades de policiamento e melhoria da gestão.

Tramitação
A proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania quanto à admissibilidade. Caso aprovada, será encaminhada a uma comissão especial e, em seguida, a Plenário para votação em dois turnos.

Fonte: Capitão Assumção

domingo, 17 de janeiro de 2010

Caminhada Nacional pela PEC 300, dia 25 de janeiro - RJ

Em todo Brasil, serão realizadas manifestações em prol da PEC 300 no dia 25 de janeiro. A ASSINAP está apoiando inteiramente a caminhada pela PEC 300 no estado do Rio de Janeiro.

A concentração será às 16h, na Candelária.

De lá, seguiremos para a Cinelândia. A caminhada nacional servirá para pressionar o Congresso para que a PEC 300 seja votada e aprovada o mais rápido possível.

O presidente da câmara, deputado Michel Temer, prometeu que a PEC 300 seria votada na primeira semana de fevereiro de 2010. Mas é nosso papel exigir que a promessa seja cumprida.
Pensionistas, ativos e inativos, estejam presentes, levem sua família. O movimento é pacífico.
Policiais e bombeiros, compareçam desarmados.

Mais informações pelos fones (21) 7811.8282 e 46*23230 - Tenente Delima - Presidente do Movimento PEC 300 - RJ ou (21) 2221.7193 - Claudia

Fonte: Blog do Miguel Cordeiro

Notícias » Notícias Governo define propostas para ONU sobre prevenção ao crime

Os ministérios da Justiça e das Relações Exteriores concluem nesta sexta-feira o relatório a ser apresentado durante o 12º Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção ao Crime e Justiça Criminal, em abril, em Salvador (BA).

De acordo com o secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, as propostas incluem uma ampliação do combate ao crime em outros países espelhada no Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci).

"É um projeto inovador, que já tivemos a oportunidade de apresentar a vários países e que tem sido muito aplaudido. Você alia a questão da repressão a políticas sociais, o que permite ao indivíduo ter a oportunidade de se reinserir na comunidade e não ficar refém do tráfico", disse.

Outra proposta brasileira trata da recuperação de ativos no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU). Para o secretário, o corte do fluxo financeiro poderia agilizar o combate efetivo ao crime organizado.

"O grande objetivo nosso é fazer com que os países-membros da ONU possam consagrar aquilo que o País já conseguiu com sucesso, que é criar uma área específica para fazer essa cooperação agilizada, trocando informações provocadas pela Justiça, pelo Ministério Público e pela polícia com alguma autoridade central de outro país", afirmou. Depois de finalizado, o documento será encaminhado ao Escritório das Nações Unidas em Viena (Áustria) e debatido.

Fonte: TERRA

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Cabral: premiação para policiais que cumprirem metas será semestral

RIO - O governador Sérgio Cabral encurtou o prazo para a premiação dos policiais civis e militares das Regiões Integradas de Segurança Pública (RISPs): o prêmio _ que seria anual _ passou para semestral. A ideia é incentivar ainda mais os policiais a cumprirem as metas em menor espaço de tempo. A determinação sairá publicada em decreto (Nº 42.243) nesta segunda-feira, 18/01/2010, no Diário Oficial.

_ Como toda empresa tem metas a cumprir, o setor público também tem que ter as suas e a segurança pública se inclui nisso. Produtividade, competição e estímulo fazem parte de qualquer concepção de gestão. E gestão foi a grande novidade na área de Segurança Pública em nosso governo _ disse Cabral.

Após os primeiros seis meses de implantação do plano de metas contra a violência, o Governo do Rio de Janeiro conseguiu, por exemplo, registrar em 2009 uma queda de 14,4% no número de homicídios no estado em relação ao mesmo período (setembro, outubro e novembro) de 2008.

_ Ao incentivar o policial a bater as metas em menos tempo, os índices de criminalidade tenderão a cair mais e os resultados serão percebidos pela população, que é o foco das ações do governo _ acrescenta o secretário-chefe da Casa Civil, Regis Fichtner, coordenador do programa de metas no Estado.

As metas são estabelecidas de acordo com os seguintes tipos de crime: homicídio doloso, roubo de veículos e roubos de rua (transeuntes, coletivos e celular). São esses os que têm maior impacto na sensação de insegurança da população.

Alcançadas as metas, os policiais civis e militares serão contemplados com premiações únicas, semestrais e individuais. Os policiais que baterem as metas receberão R$ 500 (cada um). Os que integrarem a região com os melhores resultados terão o prêmio de R$ 1.500 (cada policial).

A premiação será concedida a todos os colaboradores das polícias Civil e Militar das RISPs que atingirem as metas, desde que tenham permanecido em exercício por mais de três meses durante o período de alcance da meta.

Cada RISP é liderada por um delegado, que é o diretor de departamento, e um coronel, que comanda a área. Eles trabalham em conjunto para responder às demandas estabelecidas pelo sistema de controle de metas determinadas pela Secretaria de Segurança. Foram criadas sete RISPs, divididas da seguinte forma: Capital (regiões Sul, Centro e Norte); Capital (Oeste); Baixada; Niterói e Região dos Lagos; Sul Fluminense; Norte Fluminense; e Região Serrana.

Fonte: JB

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Cinzas de bombeiro morto em acidente são jogadas ao mar em Itaipuaçu

Familiares e amigos do bombeiro participaram da homenagem na Praia de Itaipuaçu - Foto: Thiago Lontra

Cerca de 100 pessoas, dentre familiares, amigos, colegas de trabalho e crianças participantes do Projeto Botinho deram, na manhã desta quinta-feira, o último adeus ao soldado bombeiro Carlos Rafael Couto de Gouveia, de 22 anos, morto no último dia 6, em decorrência de um acidente de carro, em Itaipu.

A corporação promoveu uma homenagem ao jovem no posto de Guarda-Vidas, em frente à Rua 1, na praia de Itaipuaçu, Maricá, onde Carlos Rafael tirava serviço.

Em forma, os bombeiros entoaram cânticos militares e entraram no mar, fazendo um circulo, Após algumas canções, o bote do Corpo de Bombeiros entrou no círculo. Após os guarda vidas tiraram as camisas e gira-las no ar, falando o nome de Carlos Rafael como um grito de guerra, a lancha saiu do círculo, e começou a jogar as cinzas do rapaz no mar.

Fonte: O Fluminense

Adeus Nobre Companheiro, você ficará pra sempre nas nossas memórias e obrigado pelo tempo que nos honrou com a sua companhia.

PEC 300 JÁ TEM DATA PARA SER VOTADA

A PEC 300 já tem data marcada para ser votada e aprovada é nos dias 02 e 03 de fevereiro de 2010, sob pena de haver uma paralisação nacional dos agentes de segurança pública.
Todos os militares estaduais estão se preparando para estarem no Distrito Federal neste histórico dia que busca edificar e resgatar a dignidade de uma classe tão esquecida, mas sempre tão presente na vida de cada pessoa na sociedade.

O governo Lula já sinalizou positivamente em relação à votação das outras PEC’s relacionadas ao salário dos trabalhadores da área de segurança pública, no entanto, com algumas alterações como por exemplo a substituição da PEC 41/08 pela 469/09 que traz na redação o piso salarial nacional dos trabalhadores da área de segurança pública no valor de R$ 3.300,00.

Também queremos enaltecer o brilhante trabalho realizado pelo Cap. Assumção do PSB-ES, na defesa da classe, que além de dinamizar os trabalhos da PEC 300 tem colocado propostas importantíssimas que dizem respeito à definição da carga horária semanal de 30 horas, extinção das prisões administrativas dentre outras medidas que buscam tornar o militar estadual mais próximo da sociedade.

Fonte: ASPOM

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Previsão de Ondas para o Final de Semana

Caravana PEC 300

MOVIMENTO
PEC 300
RIO DE JANEIRO

VOTAÇÃO DA PEC 300 NA 1ª SEMANA de FEVEREIRO, conforme PROMESSA do
PRESIDENTE DA CÂMARA
DEP. FED. MICHEL TEMER (PMDB)
anunciada em cadeia de rádio e televisão


CHEGOU O GRANDE MOMENTO ESPERADO.
PRESSÃO TOTAL PARA VOTAR NA MESMA SEMANA OS 2 TURNOS DE VOTAÇÃO E CONHECERMOS OUTROS PM e BM DE OUTROS ESTADOS DO BRASIL.

Estaremos partindo para BRASÍLIA
DIA 01 de FEVEREIRO de 2010 (SEGUNDA-FEIRA)
SAÍDA 18:00 h da Rod. da Central do Brasil
na Av. Presidente Vargas / Centro
ÔNIBUS GRÁTIS (com prioridade de VAGAS para PENSIONISTAS e INATIVOS)

AS DESPEZAS com alimentação e estadia (pousada, hotel, casa de parentes e amigos, quartéis da PM ou BM) será responsabilidade pessoal de cada um.

TODOS DEVERÃO ADQUIRIR com os membros da Comissão PEC 300 / RJ ( R$ 15, ) UMA CAMISA DE MALHA COR BRANCA (PADRONIZADA) PARA DAR UNIFORMIDADE E IDENTIFICAÇÃO A CARAVANA DO RIO DE JANEIRO, com o seguinte texto na frente e nas costas:
movimento
PEC 300
Rio de Janeiro

Eu Acredito

CASO VOCÊ não possa viajar para BRASÍLIA, PODERÁ estar ajudando outros companheiros e companheiras para que POSSAM viajar, colaborando com uma quantia mínima de R$ 1, transferindo de sua conta corrente para a conta :

BANCO ITAÚ - Ag: 6157
Conta Poupança: 04702-5/500
( FERNANDO A. DELIMA Inácio Silva - Pres. Mov. PEC 300

FERNANDO DELIMA
Movimento PEC 300 / Rio de Janeiro
fernandodelima1@gmail.com / tel (21) 7811 8282 / 46*23230 / 9871 1031 / 9135 5733

Fonte: CBMERJ Alerta

Câmara vota PEC 300 em fevereiro

Presidente da Câmara Federal, Michel Temer, confirma para o próximo mês a votação da PEC 300

Defensor dos policiais militares e bombeiros militares, o deputado federal Major Fábio (DEM) revelou na tarde de hoje (12), em entrevista a um programa radiofônico na Capital do Estado, que o presidente da Câmara Federal, Michel Temer (PMDB) assegurou que a votação da PEC 300 se dará no próximo mês.

O Major não sabe se a votação acontecerá com o texto original da Proposta, mas acredita que não deve haver muitas alterações.

A importância da PEC 300, para o deputado ultrapassa os limites da Paraíba, ao revelar a carta divulgada pela imprensa internacional que diz que a Copa de 2016 será realizada num país em que a segurança pública é menosprezada, tendo em vista o salário que é pago ao policiais.

O deputado assegurou que irá acompanhar de perto os tramites da PEC 300, como vem fazendo em todos os meses, para garantir que votação seja concretizada em fevereiro.

Fonte: PB Agora

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Lula: Pronasci reduz índices de violência onde é instalado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta terça-feira que os índices de violência estão caindo em todos os dez Estados onde o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) já foi instalado. A declaração foi publicada em sua coluna semanal O Presidente Responde.

De acordo com Lula, os investimentos federais para apoiar os Estados em segurança passaram de R$ 951 milhões, em 2003, para R$ 2,7 bilhões, em 2009. Entre as realizações do Pronasci, o presidente cita a redução de 60% no número de homicídios no bairro de Santo Amaro, no Recife (PE). "Esses dados são animadores, sobretudo porque a gente sabe que resultados nessa área não costumam aparecer do dia para a noite", disse.

Fonte: Terra

O quanto de Boris existe em você?

Após ouvir lixeiros desejarem “feliz 2010”, Boris Casoy disse “... que m----, dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras... (risos) ... dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho.” O episódio chocou. As reações que está sofrendo são exageradas? Ou ele as merece? Os lixeiros desejaram a todos (inclusive a ele, portanto) “paz, saúde, dinheiro, trabalho” e o que se seguiu foi, usando sua terminologia, “uma vergonha”.
O pedido de desculpas, protocolar, não teve eficácia, talvez até o contrário. A oposição entre a imagem do apresentador e o comentário em off, revelador de uma visão elitista e preconceituosa, frustrou a ideia de respeito a todos e ao telespectador (imaginem o filho de um gari ouvindo isso). A rudeza dos comentários não se resolve por ter sido um acidente e não é fácil pedir desculpas pelo que se é ou pensa. Contudo, até que ponto a diferença entre nós e o Boris reside apenas no azar que ele deu pelo vazamento? O quanto de Boris existe em cada brasileiro?
Quando alguém se refere ao ponto “mais baixo na escala do trabalho” pode estar se referindo ao conteúdo moral ou social da atividade (como, por exemplo, criticar o tráfico ou a agiotagem), pelos riscos ou pela remuneração reduzida. A atividade de lixeiro não é nociva à sociedade. Nocivo seria, para a saúde e meio ambiente, que eles não atuassem. Como o risco não é tão grande, por eliminação, resta a remuneração. E aí reside um preconceito que resiste: julgar a dignidade das pessoas, ou das profissões, de acordo com sua remuneração. Há que se reconhecer que nem sempre existe equilíbrio entre a importância social de uma função e os ganhos que esta proporciona. E não se pode confundir o desejo de melhorar de vida ou ganhar mais, e a admiração por quem logra isto, com uma postura de menoscabo com as funções menos rentáveis.
Todo trabalho é digno. O que existe, em cada ofício, são pessoas que agem bem e outras não. Existem servidores públicos, CEO’s, lixeiros, jornalistas e juízes dignos e indignos, o que se define pela forma como exercem sua atividade. Mais que isso, Jesus dizia que “a vida do homem não consiste na abundancia dos bens que possui”.
Se você, leitor, julga alguém melhor ou pior levando em consideração o quanto a pessoa ganha, ou como se veste, ou onde mora, é preciso reconhecer que em você há, escondido, um pouco desse lado sombrio que o Boris revelou ter. Talvez o lado positivo desse episódio seja a reflexão sobre até que ponto ele não revela nossos preconceitos em off.
Camila Pitanga, que faz o papel de uma faxineira na novela global, afirmou que anda pelo estúdio sem ser cumprimentada quando está com os trajes da personagem. Feliz pelo papel ser convincente, não deixou de anotar como é estranho ficar “invisível”, Esse fenômeno já foi objeto de estudo por um professor da USP que, vestido de faxineiro, ficou “invisível” na universidade, por anos. Em suma, quem deixa de ver o faxineiro, não deixa de ter seu lado Boris. Não que o Boris seja de todo mal, ele não é. Ninguém é. Somos todos humanos, com nossos lados luminosos e sombrios.
Boris também errou ao analisar a função de lixeiro. Os "'garis" são figuras simpáticas à população, vivem de bom humor e, ao lado dos carteiros, têm índices de aprovação e confiança que fazem corar os Poderes, a igreja e a imprensa. Infelizmente, estas instituições não são eficientes para limpar seus respectivos “lixos” como os garis o são com o lixo que lhes cabe. Por fim, não esquecer que – com seu jeito e ginga – um gari ilustra o vídeo institucional da bem sucedida campanha “Rio 2016”. No Rio, os concursos para gari são concorridíssimos.
Certa vez, fui a uma festa na casa de um Procurador do Ministério Público do Trabalho (negro e onde grande número de convidados eram afrodescendentes). Fui com meus dois filhos e a babá do mais novo. Ela, negra, não está acostumada a ir a festas com tantas pessoas da sua cor. Em restaurantes e colégios caros, só para dar dois exemplos, é raro encontrar pessoas negras. Depois da festa, perguntei à babá o que ela achou e sua resposta foi: “Achei muito diferente, Dr. William. As pessoas olhavam para mim!”. De fato, quem reparar vai ver quantos ignoram os trabalhadores mais humildes, quando não chegam a destratá-los. Naquele ambiente raro, a jovem experimentou a “não invisibilidade”.
E você, leitor? Cumprimenta seu lixeiro? O garçom? A babá da vizinha? O porteiro? Você os vê? Aquele áudio procura você. Se você se julga, ou julga os outros, por quanto ganha, por qual carro tem, ou se não tem um, então o episódio pode revelar esse lado do Boris em seu cotidiano. Melhor que apenas discutir o que fez o Casoy é também questionarmos até que ponto reconhecemos o valor de todo e qualquer trabalho honesto.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Passarela com curvas

Fico me perguntando como deveriam sofrer as mulheres magrinhas naquela época em que os pintores consideravam musas apenas as mulheres mais portentosas. É... os tempos mudam! Veio o tempo das modelos altas e magras, e até mesmo o das macérrimas, anoréxicas, literalmente morrendo de fome. Mas o pior da modernidade nem foi isso, mas o photoshop: esse recurso tecnológico que leva a todos os não “photoshopizados” a sensação de feiura, débito plástico e imperfeição física. Quantas pessoas não se sentiram feias na hora da nudez só porque a nudez, ou semi-nudez, da mídia não é sincera? Quantas não são as modelos e atrizes que, mesmo nuas, ou semi-nuas, estão a vestir na pele inteira o photoshop?
Devia haver uma lei proibindo o photoshop, talvez, para redimir a autoestima dos homens e mulheres que não andam nas capas das revistas.
Quantos meninos e meninas andam fazendo bobagens, ou operações, para se colocarem no formato adequado, como se a raça humana fosse assim: peças de encaixar, como ovos padronizados que precisam ficar no tamanho exato da caixa de isopor?
Num mundo tão complicado, onde a tirania da beleza esquálida e dos padrões não humanos que alguns estilistas engendraram faz tanto mal, é uma alegria ver que nem tudo está perdido. Falo do Fashion Weekend Plus Size, onde desfilarão moças lindas, livres - elas e nós - da ditadura da anorexia.
Abaixo todas as ditaduras que pretendem impor um padrão de beleza: são bonitas as altas e as baixinhas, são bonitas as claras, as negras, são bonitos todos os tipos de cabelo, todas as formas de mulher. Quem escolhe que só é bonita uma mulher alta, macérrima não entende nada de diversidade e, aposto, muito menos ainda de mulher.
Entre as maldades feitas com quem foge ao padrão de beleza propugnado há a falta de cuidado com o desenho das roupas. O problema é que aqueles que desenham as peças para pessoas plus size não parecem tão esmerados, e seguem linhas como se todas tivessem que se vestir quase com uniformes.
Além de ser um mercado numeroso e em crescimento - razões comerciais e capitalistas suficientes para levar essas pessoas a sério - creio que aprender a desenhar com estilo e graça para todas é algo que refere-se à civilidade e ao respeito à dignidade da pessoa humana.
Erra quem pensa que “direitos humanos”, “democracia”, “respeito” etc são termos meramente jurídicos e que só interessam em alguns cenários ou espaços sociais. Respeitar a diversidade e ver a beleza que há em cada uma das formas e cores de cada ser humano é um valor que se tem ou não dentro da gente. Se ele existir, vai valer em tudo, desde fazer roupas até aprovar um candidato numa seleção de emprego; se não existir, vamos continuar a discriminar pessoas tanto nas passarelas quanto nas ruas, empregos e empresas.
Por tudo, então, o Fashion Weekend Plus Size é o mais bonito dos desfiles. Bonito porque mostra gente bonita, e as magras também o são, e bonito porque mostra para todo mundo que a beleza não tem regra, peso ou altura. Assim como o feio também não.

FONTE: William Douglas

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Deputados querem priorizar votação de piso salarial de militar

Deputados de diferentes partidos já apresentaram requerimentos para que seja incluída na pauta do Plenário a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 300/08) que cria o piso salarial para policiais militares e bombeiros. Aprovada na comissão especial que discutiu a matéria, a PEC está pronta para votação em Plenário.

O deputado Capitão Assumção (PSB-ES), disse que a ideia é votar a proposta em dois turnos ainda no primeiro semestre. "A gente agora está conclamando os líderes partidários e o presidente Michel Temer a colocar [a proposta] na Ordem do Dia".

Fim de disparidades

O deputado Mendonça Prado (DEM-SE) destaca que o objetivo da proposta é corrigir as disparidades salariais entre os policiais. "Para que se tenha uma ideia, um soldado no Rio de Janeiro recebe R$ 800 para combater criminosos de quadrilhas organizadas do tráfico de drogas. É um salário que não condiz com um trabalho tão perigoso. Portanto, essas disparidades precisam ter fim. Precisamos equiparar [os salários] com a remuneração do Distrito Federal, que é a melhor".

Um acordo entre os parlamentares da comissão especial viabilizou a aprovação de um piso salarial de R$ 4,5 mil, mas também prevê a equiparação com os policiais e bombeiros do Distrito Federal. Caberá ao Plenário, em dois turnos de votação, decidir qual das duas formas será utilizada.

Fonte: Agência Câmara

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Greve nacional se a PEC 300 não for aprovada!!!



O grande momento está se aproximando. O mês de fevereiro será derradeiro para a aprovação do nosso piso salarial nacional, a PEC 300.

Sabemos de todas as armadilhas do Governo para desvirtuar e desarticular a aprovação da PEC 300.
Mas temos que estar preparados para tudo. É chegada a nossa hora.
Que o Governo federal ou quem estiver tramando contra a aprovação do piso salarial nacional tenha noção de que a manifestação legítima de Tocantins poderá acontecer agora mas em proporcional nacional se ficarmos sem o piso proposto pela PEC 300.
Que os governos não queiram pagar para ver uma catástrofe sem dimensões na história da nação brasileira.
Nós guardiões da paz, queremos o que é nosso. O resgate da nossa dignidade. O que são 3 bilhões e 500 milhões de reais anuais para complementar salários dos guardiões da paz???
Bilhões são jogados pelo ralo todo o dia na nação brasileira e nós estamos morrendo à míngua. Chega de miséria.
Quem guardará os guardiões???
Pela aprovação da PEC 300 ou paralisação total por tempo indeterminado.

Fonte: Capitão Assumção

PEC 300: marcha nacional até Brasília

Os deputados que compõem a frente parlamentar em defesa dos policiais militares e bombeiros estão percorrendo, durante o período de recesso, todos os estados brasileiros de modo a se criar uma mobilização nacional que possibilitará a ida até o Congresso Nacional de milhares de bombeiros e policiais para que se exerça a devida pressão aos parlamentares durante a votação da PEC 300 que ocorrerá, ou entre os dias 3 e 4, ou entre os dias 10 e 11 de fevereiro.

No ano passado, as PEC que foram votadas, principalmente as que se tratavam de pisos salariais, contaram com a presença maciça dos trabalhadores respectivos, a exemplo da PEC do piso dos agentes comunitários de saúde.

O Deputado Capitão Assumção está peregrinando no Espírito Santo, pelos batalhões de polícia militar e corpo de bombeiros, companhias independentes e destacadas, pelotões e destacamentos, pedindo aos companheiros que também prossigam em caravanas nesses dias, até Brasília.

Não podemos esmorecer. Nesse estágio, é fundamental a presença do maior número de policiais e bombeiros no Congresso. Sem pressão, teremos dificuldade em passar o piso salarial nacional.

Ninguém terá coragem de votar contra a nossa categoria se a Câmara dos Deputados estiver lotada de policiais e bombeiros.

Esse sacrifício não será em vão. Está previsto para sair dos quartéis do Espírito Santo, em direção ao Congresso Nacional, pelo menos 10 ônibus, com tendência a aumentar a quantidade de veículos. Os capixabas estão fazendo a sua parte.
Só descansaremos quando a PEC 300 for aprovada. Queremos o valor do piso salarial nacional constando no texto constitucional.

já estivemos em Ponto Belo, Mucurici, Montanha, Pinheiros, Pedro Canário, Braço do Rio, Boa Esperança, Nova Venécia, Vila Pavão, Água Doce do Norte, Barra de São Francisco, Mantenópolis, Alto Rio Novo, Pancas, São Gabriel da Palha e Vila Valério.

Temos previsão de, até o final do recesso percorrermos todos os municípios do Espírito Santo, indo em todos os lugares onde encontrarmos companheiros nossos, divulgando essa grande marcha nacional em direção à Vitória da PEC 300, no Congresso Nacional.

Chega de enganação.

Uma revista semanal registrou na última semana do ano de 2009 que o impacto a ser causado com a implementação da emenda 300, anualmente, será de 3 bilhões e 500 milhões de reais, avaliação feito por uma empresa de consultoria renomada.

Para se ter idéia de que esse montante é insignificante, o Ministério da Educação joga pelo ralo, anualmente, 15 bilhões e 100 milhões de reais em política inadequada de repetência e evasão escolar. No final do ano, a União colocou dentro do BNDES, 90 bilhões de reais para ser entregue de mão beijada às empresas privadas.

E nós, guardiões da paz. É só porrada?????

Queremos nossa dignidade.

Saímos diariamente às ruas gerenciando conflito o tempo todo. Vocês já perceberam que graças à nossa atividade de gerenciamento de conflito, contribuímos sobremaneira para que o número de novos criminosos não suba estratosfericamente???

A cada conflito debelado, tiramos a potencialidade de geração de um novo criminoso para a sociedade.

E o que ganhamos em troca??? Migalhas!!!

O reconhecimento tem que vir agora. Chega dessa conversa fiada de bolsa enganação.

Queremos a aprovação da PEC 300 na Câmara e no Senado.

Fonte: Capitão Assumção.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Lula lança Bolsa-Copa para reforçar segurança na Copa e na Olimpíada

Com o objetivo de reforçar o esquema de segurança da Copa 2014 e da Olimpíada 2016, o governo lançará, no próximo dia 26, o Bolsa-Copa. Trata-se de um pacote de ações que prevê medidas como o complemento salarial de R$ 1,2 mil para cerca de 50 mil policiais que trabalharão nos dois eventos esportivos.

O bônus salarial valerá para todas as cidades-sede, no período de junho de 2010 até o final do Mundial. A informação é do jornal O Estado de S.Paulo.

Os recursos para o Bolsa-Copa sairão do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci). A ideia é que os governos estaduais assinem termo de adesão ao programa, com o compromisso de incorporar o valor da bolsa ao salário dos policiais a partir de 2016, por projeto de lei a ser enviado à Assembleia local.

No decreto que criará a nova bolsa, o governo ampliará de R$ 1,7 mil para R$ 3,2 mil a faixa salarial de policiais aptos a receber outro benefício, o Bolsa-Formação, no valor de R$ 400 mensais. De caráter nacional, esse complemento já é pago a 160 mil profissionais da segurança.

Fonte: Final Sports

- Cursos

O pagamento da bolsa será condicionado à participação dos policiais em cursos específicos para segurança de grandes eventos que venham a ocorrer no país a partir da Copa e da Olimpíada.

Os cursos serão definidos ainda neste primeiro semestre pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). O objetivo é elevar o padrão técnico da polícia dos Estados, considerado muito deficiente.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

PEC 300: Deputado Major Fábio destina discurso aos PMs e BMs inativos e pensionistas

Deputado federal Major Fábio diz que ministro da Justiça tenta tirar o foco da PEC 300

O deputado federal Major Fábio partiu em defesa dos Policias e Bombeiros Militares, pensionistas, aposentados e inativos, após a publicação nesta quarta-feira (30), no site do Ministério da Justiça, que informa a disposição do Governo Federal em implantar o complemento salarial apenas para os Policiais que trabalharão nas cidades-sede da Copa Mundo de 2014.

O Ministério da Justiça confirmou para o dia 26 de janeiro a assinatura do decreto que validará a decisão. “Isso é um absurdo. E como ficam os demais Policiais e Bombeiros? O ministro aproveitou o recesso parlamentar para anunciar uma medida que tem o objetivo de tirar o foco da PEC 300. A Proposta está pronta para ser votada, inclusive com apoio do presidente da Câmara”, disparou o Major.

No início do mês de dezembro, o parlamentar paraibano já alertava para a manobra do Governo. Para o Major Fábio essa atitude é preconceituosa, pois isola os demais Estados da Federação. “É um desrespeito aos Policiais e Bombeiros, o Governo trata nossa categoria com preconceito e discriminação”, afirmou o Major Fábio que já adiantou a necessidade da realização de uma audiência entre os deputados, senadores e o ministro da Justiça.

Ainda segundo o Major Fábio, os desafios da segurança pública do Brasil compreendem todos os Estados, e não apenas as cidades-sede da Copa de 2014.

-O Brasil não dever está seguro apenas na Copa. O Brasil clama por segurança todos os dias. O Brasil precisa de bolsa respeito, bolsa justiça. A sociedade brasileira precisa de segurança já.

Como exemplo do tratamento discriminatório, o deputado acrescentou, ”o Policial que vai trabalhar no grande Recife, enfrenta as mesmas dificuldades do Policial que trabalha na grande João Pessoa, portanto é impossível compreender e permanecer com essa discriminação do Governo”.

Saiba sobre o assunto:

Brasília 30/12/09 (MJ) – Policiais que trabalharão nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 receberão um complemento salarial de até R$ 1.200, de 2010 até a data de realização dos jogos. O decreto que validará a medida deverá ser assinado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no próximo dia 26 de janeiro. A decisão foi anunciada pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, após reunião com o presidente da República e representantes da Casa Civil e dos Ministérios do Planejamento e das Relações Institucionais, que farão a redação final do documento. O decreto também definirá a ampliação da faixa salarial exigida como critério para a concessão do Bolsa Formação, projeto que beneficia mais de 160 mil profissionais de segurança pública de todo país, com o pagamento de R$ 400 mensais para policiais que façam os cursos de atualização oferecidos pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

Atualmente, para receber o Bolsa Formação o policial deve ganhar até R$ 1.700. Com as modificações do decreto, o benefício será estendido a profissionais com salário de até R$ 3.200.

Fonte: PB agora

domingo, 3 de janeiro de 2010

sábado, 2 de janeiro de 2010

Para Hélio Costa, universalizar banda larga é principal meta do setor para 2010

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou hoje, em Brasília, que a principal meta do ministério para 2010 é começar a levar a internet em banda larga a todo o país. “O principal desafio para o setor agora está lançado: é a banda larga. Temos o ano todo para realmente fazermos o Plano Nacional de Banda Larga vingar. Temos consciência de que é impossível fazer tudo em um ano, mas nós vamos começar”, disse, durante a cerimônia de consignação de canais digitais para a cidade de São Luis (MA). O ministro explicou que o Plano Nacional de Banda Larga deve ser encarado como um projeto para o país. “O próximo governo, seja ele qual for, certamente fica na obrigação de continuar a implantação de um plano que tem como objetivo chegar a todo o território nacional com essa ferramenta hoje indispensável em qualquer meio social”, salientou. Hélio Costa lembrou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou no fim de novembro o prazo até meados de janeiro para receber um documento reunindo novas informações e propostas para o Plano Nacional de Banda Larga. O ministro disse que o presidente Lula tem insistido que toda obra de infra-estrutura a ser desenvolvida no país contemple também a infra-estrutura de telecomunicações, o que fortalecerá o projeto de universalização da internet em banda larga. “Para se construir uma estrada, será preciso fazer também a estrutura de comunicações, o que facilita muito”, explicou. TV Digital Nesta segunda-feira, 21 de dezembro, o ministro das Comunicações assinou contratos de consignação de canais digitais com três emissoras de televisão de São Luís (MA). Hélio Costa lembrou que, passados dois anos da implantação da TV Digital, 29 cidades brasileiras já transmitem em alta definição. São Luís é a 20ª capital brasileira a operar a TV Digital.

Fonte: Presidência da República