terça-feira, 29 de junho de 2010

Policiais e bombeiros terão aumento de 70,32%

O governo do estado enviou agora há pouco para a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) um projeto de lei que reajusta em 70,32% os salários de 118.105 bombeiros, policiais civis (exceto delegados), militares e inspetores de administração penitenciária ativos, inativos e pensionistas. Nesse total, estão incluídos os 10%, que já foram sancionados na semana passada pelo governador Sérgio Cabral e serão repassados no salário referente a julho, que sai no início de agosto.

O restante virá em 48 parcelas mensais, a partir do salário de janeiro de 2011, pago em fevereiro. O reajuste mensal será de 0,915% nesse período e estará integralizado em dezembro de 2014. Em 2011, o reajuste vai resultar em um aumento de R$ 550 milhões na folha de pagamento, considerando somente ativos e inativos.

Apesar da melhoria, o aumento ainda é inferior ao dos delegados, já aprovado pela Alerj, que virá em 24 prestações e começará a valer no pagamento relativo a agosto, que sai em setembro. Além dos 70,32%, eles terão os 10%, que já haviam virado lei separadamente, totalizando 87,34%. Um aumento maior em um período mais curto e que começará a ser pago mais cedo, pelo menos a parte parcelada.

Para dar esse aumento maior aos delegados, foi levado em conta o fato de que vários deles já estão no teto salarial do estado e que esse percentual terá pouco efeito prático. Conceder um aumento igual de 87,34% para todos seria um gasto muito grande, de acordo com a avaliação dos técnicos do governo.

O aumento diferenciado dos delegados havia causado insatisfação entre os oficiais da PM. Desde o último domingo, eles vinham discutindo o tema com o comandante da corporação, coronel Mário Sérgio Duarte, e com o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame. As queixas chegaram ao governador Sérgio Cabral. Um dos principais motivos da revolta dos oficiais seria a declaração dada pelo secretário de Planejamento, Sérgio Ruy Barbosa, dizendo que a carreira de delegado era considerada estratégica na política de Segurança Pública do estado. Os oficiais do alto escalão da PM sentiram-se desprestigiados e foram conversar com o comando da corporação, dando início às negociações que resultaram no novo reajuste.

Na manhã desta segunda-feira, a proposta foi entregue por Beltrame a Cabral e seguiu para estudos na Secretaria de Planejamento. Após o jogo entre Brasil e Chile pela Copa do Mundo, a equipe econômica se reuniu e fechou o reajuste. A mensagem será votada nesta terça-feira pela Alerj. Segundo o deputado Paulo Melo (PMDB), líder do governo na Casa, haverá uma sessão extraordinária às 10h. Caso haja emendas, o projeto retorna à pauta à tarde.

Ao menos uma emenda será proposta, pedindo o pagamento em 24 vezes para todos. O deputado Flávio Bolsonaro (PP) está buscando o apoio de outros parlamentares.

Fonte: Extra