sábado, 18 de junho de 2011

Bombeiros,seg.pública,ed e saúde.Federalizar é a solução.

Porém para conquistar tão almejado objetivo,é preciso lutar em conjunto com as categorias aliadas.Não só temos o exemplo natural das formigas,quanto também a invasão da Normandia,durante a segunda guerra mundial.Sem a atuação conjunta das alianças,não há vitória.

Bombeiros,segurança pública,educação e saúde,são pilares de uma nação e pilares tão importantes que não podem ficar nas mãos de prefeitos e governadores.Tais categorias precisam estar sob a responsabilidade direta da União.
Sendo pilares que sustentam um só conjunto nacional,só se sustentarão numa atuação em conjunto e jamais isolados.Portanto manifestação isoladas dessas categorias,jamais terá sucesso,sempre fracassará,será uma novela feia,ridícula e sem fim.
É lógico que governos estaduais serão contra,pois ficarão sem as verbas referentes ao orçamento de tais categorias,o que diminuirá em muito o orçamento estadual.Porém indiferente disso,o Brasil precisa avançar e essas categorias precisam perceber suas importâncias diante da nação e do povo brasileiro.O que então se direcionará o foco para a FEDERALIZAÇÃO das categorias ,bombeiros,segurança pública,educação e saúde.E parar de vez manifestações por aumento de salários direcionados ao governo de seus estados.
Um outro fator vantajoso com a FEDERALIZAÇÃO dos bombeiros,polícias militares,civis,educação e saúde,é a necessidade que o país está tendo de ter que dividir estados,assim como vão nascer agora os estados de Tapajós e Carajás no sul do Pará;pois tais emancipações permitirão um maior número de pessoal e possibilidades de transferências voluntárias,ou por promoção.E não vai ficar só por aí.Já há movimentos concretos para a formação dos novos estados do Maranhão do Sul,estado do Rio São Francisco( norte da Bahia),o estado do Gurgueia (sul do Piauí) e estado do Jequitinhonha(norte de Minas);falarei sobre esse tema mais tarde,porém diante disso,com a FEDERALIZAÇÃO das categorias citadas acima,as oportunidades,condições de trabalho,desenvolvimento técnico pessoal e econômico,individual e coletivo,serão enormes.
Porém para conquistar tão almejado objetivo,é preciso lutar em conjunto com as categorias aliadas.Não só temos o exemplo natural das formigas,quanto também a invasão da Normandia,durante a segunda guerra mundial.Sem a atuação conjunta das alianças,não há vitória.
Por outro lado,os líderes de tal movimento precisam ler também o livro A ARTE DA GUERRA,do general Sun Tzu,livro esse muito pesquisado por oficiais militares de alta patente e ensinado na maioria das academias militares da Europa e E.U.A . Na verdade não quero dizer aqui,fazer uma guerra literal,mas usar estratégias de força psicológica,o que muitas das vezes dá resultado de vitórias arrasadoras,sem disparar um tiro sequer.
Na verdade,a força de um governo está nas armas que ele tem,mas no momento em que começa a perder apoio,o governo se desmantela e aí,só lhe resta ceder.
É preciso que se entenda de uma vez por todas,que a nação pertence ao povo e não aos governantes.Porém alguns governantes acham o contrário e aí,entram em rota de colisão com o povo,assim como está acontecendo agora no Oriente Médio.
Contudo a vitória popular na Tunísia e Egito,seu deu por uma luta em conjunto,sob uma liderança competente que entendeu o conjunto de todos como força e não optou por lutas isoladas,o que se tivesse feito,com certeza fracassaria.

Fonte: Correio do Brasil com a ajuda da Sgt Merlim