terça-feira, 29 de novembro de 2011

Se Deus é por nós quem será contra nós!!!

Senhores, aproveitem cada momento, cada dia vivido... 

Não sabemos o que talvez possa acontecer na próxima alvorada.
 
A luta pela vida já começa na disputa pelo óvulo, e permanece na defesa dos nossos sonhos e ideais. Conforme a maré baixa e a alta, o jazigo e o seriado, somos nós em busca da nossa dignidade...

Fizemos juntos um maremoto vermelho que alcançou mais quatro estados além do Rio. Em um deles esperavam a anistia que nos foi concedida desde 1997(efeitos do Tsunami Dignidade), agora, nesse momento essa calmaria já nos entedia.

É veredade guerreiros chegou um novo momento, já sinto o soprar do vento e a previsão desta vez nao vai falhar.

Aquele  mar vermelho vai subir novamente e todos os Bombeiros vão dropar as ondas da verdade, da justiça, da dignidade e da Paz!!!

Victor Vieira Lobato 
Guarda-vidas do Rio de Janeiro

sábado, 26 de novembro de 2011

Segurança pública perde R$1,3 bilhões do orçamento para despesas na área

O Pronasci, comandado por Regina Miki, terá cerca de R$ 3,5 bilhões, mas ganhou novas atribuições (Breno Fortes/CB/D.A Press) 
O Pronasci, comandado por Regina Miki, terá cerca de R$ 3,5 bilhões, mas ganhou novas atribuições
Às vésperas dos grandes eventos esportivos, o governo reduziu o orçamento destinado à segurança pública. O projeto de lei apresentado pelo Executivo ao Congresso traz uma queda de 12% no valor previsto para despesas nessta área. Pela proposta, serão destinados R$ 8,3 bilhões às ações de combate e prevenção ao crime. Este ano, o valor autorizado era de R$ 9,6 bi. Especialistas em segurança pública criticaram ontem na Câmara a decisão do governo e cobraram dos deputados a inclusão de emendas ao projeto. “Não dá para entender que a segurança pública é uma prioridade deste governo, quando os recursos destinados à área deixam claro que não é”, afirma Alexandre Ciconello, conselheiro do Conselho Nacional de Segurança Pública (Conasp).

O Plano Nacional de Segurança em Grandes Eventos, novidade do projeto deste ano, separa R$ 700 milhões para atividades destinadas à Copa do Mundo de 2014 e às Olimpíadas de 2016. A maior parte dos recursos está no Programa Nacional de Segurança e Cidadania (Pronasci), da Secretaria de Segurança Pública, sob o comando de Regina Miki. Pela proposta do Executivo, serão R$ 3,5 bilhões. O valor é superior ao destinado ao programa em 2011, embora o projeto de lei de 2012 inclua ações como combate ao tráfico de pessoas e controle das fronteiras, que não faziam parte do programa.

O Pronasci é o maior programa do Ministério da Justiça e foi destacado pela presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral. Porém, quatro anos depois de ser anunciado, não há uma análise sobre sua efetividade. Integrantes do governo também reclamam que o programa, criado na gestão de Tarso Genro, ainda está muito vinculado ao ex-ministro da Justiça e que seria necessário uma política “de cara nova”.

Entre os projetos do Pronasci está a distribuição de “bolsas formação” que complementam o salário de policiais e agentes penitenciários. O programa foi reduzido a menos da metade em comparação com 2010, segundo estudo do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc). Neste ano, foram autorizados R$ 822,3 milhões e, para 2012, estão previstos R$ 310 milhões. “Não sabemos se haverá uma nova política ou se foi uma decisão do governo”, questiona Ciconello.

A diminuição dos investimentos no combate à violência contra a mulher também foi criticada na audiência pública. “O problema aumenta e a resposta só diminui. É inaceitável”, afirma Guacira Cesar de Oliveira, do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (Cefemea).

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Proposta do governo do Rio de Janeiro beneficia policiais civis

Subsecretário anunciou que o governo do estado apresentará uma proposta para a implantação do projeto de reenquadramento de cargos e salários da Polícia Civil Ao participar nesta segunda-feira de uma reunião da  Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Assembleia Legislativa, o subsecretário de Gestão Estratégica da Secretaria de Estado de Segurança, Hélio Pacheco Leão,  anunciou que o governo do estado apresentará uma proposta para a implantação do projeto de reenquadramento de cargos e salários da Polícia Civil, reivindicado pela corporação, quinta-feira.  Presidente da comissão, o deputado Zaqueu Teixeira (PT) lembrou que o colegiado mediará esse debate.  “O resultado do que for pactuado virá para essa Casa para ser votado”, apontou o parlamentar. Leão explicou que as reivindicações da classe, como a implantação do projeto de reenquadramento e a antecipação das parcelas do reajuste que foi concedido pelo estado, foram analisadas pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag). “Parte das reivindicações da corporação será atendida. Na próxima quinta, teremos uma reunião com os técnicos da Seplag e buscaremos mais informações. A diminuição do tempo na progressão das classes da Polícia Civil estará em debate. Por exemplo, as seis classes da carreira de Inspetor e de Oficial de Cartório serão reduzidas para quatro, como a categoria está querendo, ou seja, o policial entra na corporação e com 15, 20 anos de carreira chega ao topo. Isso é estimulante para quem ingressa na Polícia”, avaliou o subsecretário. Leão disse ainda que as proposta da categoria estão sendo analisadas, mas que, no momento, não poderão ser atendidas em sua totalidade, pois causariam um impacto de R$ 686 milhões nas contas do governo. Zaqueu Teixeira informou também que apresentou emenda ao orçamento de 2012, para garantir que se faça o plano de reenquadramento de cargos e salários.  “Essa emenda permite ao estado, dentro do remanejamento, fazer a redistribuição para o novo plano dessas carreiras. Então, já apresentamos o texto e, com isso, pretendo propiciar que esse reenquadramento se faça, porque já existe previsão no orçamento e no Plano Plurianual (PPA). É uma condição para que possamos, efetivamente, colocar os policiais em uma nova carreira e valorizar a categoria”, explicouo deputado. Inspetor de Polícia e diretor financeiro do Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sindpol), Francisco Chao afirmou que a instituição está trabalhando com um terço da sua capacidade.  “De 22.259 cargos na Polícia, temos ocupados somente 9.320. Houve uma evasão de 80% em dez anos. Não temos como competir com a Polícia Federal em termos salariais, e isso fez com que o profissional que ingressa na corporação hoje veja a Civil como transitória. A carreira não tem estímulo e remunera mal”, ponderou Chao.  Os deputados Flávio Bolsonaro (PP) e Paulo Ramos (PDT) também participaram da audiência.  Ficha Limpa - A Alerj votará hoje, em segunda discussão, a proposta de emenda constitucionalque veda a nomeação para cargos públicos de pessoas enquadradas no conceito de inelegibilidade da legislação federal.  Fonte: O Fluminense

sábado, 19 de novembro de 2011

MJ vai capacitar 53 mil profissionais de segurança para a Copa

Brasília, 18/11/2011 (MJ) -  O Ministério da Justiça, por meio da Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública) e Sesge (Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos), capacitará 53 mil policiais militares, civis, federais, rodoviários federais, bombeiros e outros profissionais de segurança pública para atuarem na Copa do Mundo e demais eventos que o Brasil sediará. Cada profissional deverá participar de dez treinamentos diferentes.
Os 40 cursos (20 presenciais e 20 a distância) serão realizados entre dezembro de 2011 e dezembro de 2013. Os instrutores responsáveis pela formação serão profissionais de segurança pública selecionados, com notório conhecimento nas temáticas. No primeiro semestre de 2014, todos os capacitados passarão por uma atualização em EAD, que vai conferir a Certificação Copa 2014. As atividades a distância serão desenvolvidas por meio da Rede de Ensino a Distância (EAD) da Senasp. (Veja lista completa de cursos).
Já os cursos presenciais serão realizados nos Centros de Apoio para a Capacitação (CAPCs), instalados nos Institutos de Ensino de Segurança Pública (academias, centros de formação, etc) de cada uma das instituições (Polícia Militar, Polícia Civil e Bombeiro Militar) dos estados-sede. A Senasp também terá um centro de capacitação, em virtude da atuação da Força Nacional de Segurança Pública.
Os estados selecionarão os servidores de segurança pública e acompanharão o desempenho dos profissionais, assegurando que eles atuarão durante os eventos.
Os participantes se dividirão em três categorias: especialistas, multiplicadores (que serão qualificados para treinar outros profissionais e para também para atuar ordinariamente) e operadores (aptos a usar os conhecimentos no trabalho ordinário).
O primeiro curso, de negociador, terá início em dezembro de 2011. Serão treinados 120 especialistas nos CAPCs da Polícia Militar nos estados de São Paulo, Bahia e Paraná e nas Polícias Civis de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. O número de final de profissionais dos estados a serem capacitados será definido proporcionalmente ao efetivo de cada corporação.
Por meio da Força Nacional, a Senasp capacitará 90 especialistas no tema Condutor de Cão de Faro (drogas e explosivos) e multiplicadores nas temáticas “Atendimento a Múltiplas Vítimas” (30 vagas) e “Controle de Distúrbios Civis” (90).
A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos faz parte do Ministério da Justiça e foi criada para coordenar as ações do Governo Federal para a segurança da Copa do Mundo, da Copa das Confederações e de outros eventos indicados pela Presidência da República. A Sesge vai desenvolver políticas de segurança, capacitar profissionais e adquirir equipamentos de alta tecnologia que serão usados nos estados para os grandes eventos.

Fonte: Ministério da Justiça

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

PRONASCI E A INDIGNAÇÃO

 
 
 
A presidente Dilma deu o tiro de misericórdia na cabeça dos profissionais de segurança do Rio de Janeiro.Além de praticamente excluir todos os PM e BOmbeiros do Bolsa formação, ainda quer fazer o pessoal DEVOLVER o que recebeu. UM ABSURDO, QUANDO EU FIZ A INSCRIÇÃO PODIA EXCLUIR DO SALÁRIO AS INDENIZAÇÕES E GRATIFICAÇÕES, E AGORA VEM ELA E MUDA A REGRA DO JOGO RETROATIVAMENTE.
De acordo com Art.2º, V do Decreto 7.443, de 23 de fevereiro de 2011, in verbis:

“V - Restituir a União os correspondentes às bolsas concedidas aos profissionais que incorrem em qualquer hipótese de cancelamento previstas no art. 9º e cujas informações não foram inseridas ou atualizadas no SISFOR a que se refere o art. 5º, de acordo com o disposto no art. 7º.”

E PENSAR QUE EU VOTEI NELA COM MEDO DO SERRA GANHAR E ACABAR COM O PRONASCI, QUE AJUDA MUITO POLICIAIS HONESTOS A PAGAREM AS CONTAS NO INÍCIO DOS MESES. PESSOAL DA SEGURANÇA PÚBLICA DO RIO O LULA E A DILMA NOS ENGARANARAM!!!!!!

QUEM RECEBE MENOS DE R$ 1.700 BRUTOS NO RIO?

SÓ SOLDADO. E OS DEMAIS?

AH, JÁ IA ESQUECENDO ELA ACABOU TAMBEM COM O DECRETO DO BOLSA COPA E BOLSA OLÍMPICA.

TEMOS QUE ADERIR EM MASSA AOS COMPANHEIROS BOMBEIROS, QUE SÃO MUITO BONS, E ESTÃO DANDO UM EXEMPLO DE CIDADANIA E UNIÃO
 

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Deputado Marllos afirma que presidente da Câmara barra a PEC 300

Em pronunciamento no plenário da Câmara realizado na tarde desta quinta-feira (27), o deputado Marllos Sampaio (PMDB) afirmou que a PEC 300 não entra na pauta de votação porque o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT/RS), não permite.
“Não é culpa dos Deputados desta Casa. O culpado da PEC 300 não ser votada, único e exclusivamente, é o Deputado Marco Maia, Presidente desta Casa, que não a coloca na pauta de votação. É uma vergonha!”
Ele lembrou que Maia chegou até mesmo a tratar mal os integrantes da Comissão de Segurança Pública que foram lhe pedir para colocar a PEC em votação.
“Quando nós perguntamos a S.Exa. sobre a PEC 300, ele fala alto, trata mal, é deselegante e diz: Se vira, se vira, não tenho nada a ver com isso, vá falar com os Governadores”.
Marllos pediu para que os militares cobrem de Marco Maia a inclusão da PEC 300 na pauta de votação da Câmara.
“Eu, como Deputado Federal, em nome da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, da qual faço parte, em nome da Liderança do PMDB, do qual sou Vice-Líder, estou aqui dizendo, de viva voz, para todo o Brasil: cobrem do Presidente da Casa, Deputado Marco Maia, único e verdadeiro culpado da PEC 300 não entrar em votação nesta Casa”, finalizou.