sábado, 25 de agosto de 2012

Senai-RJ vai dar qualificação profissional a recrutas das Forças Armadas

Alana Gandra Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro - Cerca de 3 mil recrutas das Forças Armadas que entram e saem a cada ano do serviço militar no estado do Rio de Janeiro serão beneficiados com programas de qualificação profissional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RJ). O ministro da Defesa, Celso Amorim, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugenio Gouvea Vieira, assinaram hoje (24) protocolo de intenções com esse objetivo. ''Estamos colocando à disposição do ministério a capacidade do Senai do Rio para qualificar os jovens que estavam engajados nas Forças Armadas de alguma forma'', disse Gouvea Vieira, lembrando que a entidade já promove serviço similar para as forças de segurança Civil e Militar do estado. ''E queremos estender isso para as Forças Armadas, aqui no Rio''. O objetivo é preparar esses jovens e seus parentes para o mercado de trabalho, informou a diretora de Educação da Firjan, Andrea Marinho. Celso Amorim observou que o convênio com a Firjan irá se somar ao Programa Soldado Cidadão, que também já presta serviços aos militares no campo da qualificação profissional. ''Os brasileiros que prestam serviço militar vão se beneficiar muito. Essa oportunidade de aperfeiçoamento, especialmente no Rio de Janeiro, eu acho de grande valia'', declarou. O presidente da Firjan destacou o papel ''histórico e de fundamental importância'' exercido pelas Forças Armadas no processo de pacificação de comunidades populares no Rio de Janeiro, em parceria com as forças de segurança estaduais e com o setor privado. Programas de cidadania implementados pelo Sistema Firjan nessas comunidades preveem totalizar 350 mil atendimentos até o final deste ano. Andrea Marinho enfatizou que a meta é promover a qualificação específica para os jovens recrutas, de modo que eles possam ''ser incorporados e incluídos no crescimento econômico do estado''. Ela propôs ao ministro Celso Amorim que as Forças Armadas ofereçam, em contrapartida ao programa, espaços e oficinas existentes nos quartéis para a prática pedagógica por professores do Senai-RJ. Por meio de contatos com os próprios quartéis, já foram identificadas áreas de interesse para formação dos recrutas na construção civil, setor automotivo, eletricidade, refrigeração, panificação, informática, entre outras. O ministro acatou também a sugestão de aproveitar a estrutura do Senai-RJ em tecnologia da informação, automação e simulação para a formação de reservistas, de modo a prepará-los para lidar com o surgimento de armas mais modernas e de elevada tecnologia, aproveitando a experiência do estado do Rio na área da inovação tecnológica. ''Há muita perspectiva de trabalharmos em conjunto com esse setor'', disse. Amorim ressaltou as relações das Forças Armadas com o estado do Rio e afiançou que essas relações tendem a se estreitar. ''Eu tenho muita confiança que podemos fazer muito em conjunto, em benefício do estado, da cidade e do país''.

Fonte: Terra